Você está em: Página Inicial > Artigos > Práticas Gerais de Alimentação para Cavalos
Saúde
Publicado em 13/03/2018 Comentários

Práticas Gerais de Alimentação para Cavalos

Alimentar os cavalos em horários regulares;

  • Alimentar os cavalos em horários regulares;
  • Utilizar cochos ao nível da escápula ou paleta;
  • Quando os cochos estão muito altos a inalação de pós alimentar é aumentada e assim também os problemas respiratórios aumentam;
  • O alimento no chão favorece a contaminação fecal e o desperdício, coma contaminação aumenta o parasitismo intestinal;
  • Quando os animais estiverem sendo alimentados em grupos soltos, torna-se indispensável separar os cavalos mansos dos agressivos, para que o alimento possa ser consumido por todos e não ocorram acidentes;
  • Quando for necessária a modificação da alimentação, inclusive volumosos (em tipo e quantidade), deve ser feito de maneira gradual, em um período de 4 a 7 dias no mínimo, pois o aumento brusco da quantidade de grãos , bem como outra ração, pode causar indigestão, laminite ou cólicas;
  • Observe rotineiramente os animais a medida que eles comem. Mudanças súbitas no apetite são indicadores de que alguma coisa está errada no alimento ou no cavalo;
  • Não forneça alimentos mofados ou com muito pó, eles podem causar tosse crônica, enfisema pulmonar ou hemorragias;
  • A quantidade de alimentos a ser dada ao cavalo deve ser avaliada pelo peso e não pelo volume;
  • Forneça no mínimo de 0,75 a 1 kg por 100 kg de peso corporal de volumoso sob a forma do feno, capim cortado ou pastagem de boa qualidade. Os cavalos com possibilidade de pastar devem fazê-lo por aproximadamente quatro horas diárias;
  • Se o cavalo tiver que ser trabalhado durante o dia, forneça a ele maior parte do volumoso à noite, quando ele terá mais tempo  para comê-lo vagarosamente e prazerosamente;
  • A grama cortada só poderá ser dada ao cavalo se ainda não estiver seca e apresentar-se livre do pó e herbicidas;
    O cavalo tem um estômago pequeno, fazendo melhor uso de refeições frequentes. O peso máximo da ração a ser dada não deve ultrapassar 3 kg por vez. O ideal é dar três refeições diárias com espaçamento de, no mínimo, quatro horas;
  • Ao iniciar um trabalho com o cavalo, deve ser respeitado o tempo de uma hora após a refeição, e tempo idêntico após o término do trabalho para que o cavalo possa voltar a normalidade de respiração e circulação sanguínea. Idem para o fornecimento de água;
    Adicione 50 ml de óleo vegetal (óleo de cozinha), duas vezes ao dia na ração. Este procedimento torna o pêlo do cavalo mais brilhante, além de fornecer trato digestivo;
  • Sal (cloreto de sódio) e sal mineral sempre devem estar disponíveis;
  • A temperatura da água deve ser levada em conta, muito quente não mata a sede e causa atonia digestiva, muito fria, pode causar cólicas.

Observação: os itens aqui citados devem ser avaliados para cada caso, pois diferença de idade, manejo e trabalho do cavalo devem ser considerados.

Artigo revista Acontece escrito por Deolir Dall’Onder em 12 de setembro de 2012.

 

Artigos que você possa estar interessado:

Deixe seu Comentário: