Você está em: Página Inicial > Artigos > Concurso Completo de Equitação (CCE)
Esporte
Publicado em 23/02/2018 Comentários

Concurso Completo de Equitação (CCE)

O CCE exige do cavaleiro uma experiência considerável nas três modalidades equestres

Concurso Completo de Equitação (CCE) é a mais difícil das três modalidades olímpicas. São disputadas em três dias consecutivos, os quais o cavaleiro deverá concorrer com o mesmo cavalo formando um conjunto.

O CCE exige do cavaleiro uma experiência considerável nas três modalidades equestres: O Adestramento, o CCE e o Salto. E requer um correto conhecimento da capacidade do seu cavalo. Exige, da parte do cavalo um elevado grau de aptidão diversa, resultante de um treinamento inteligente e racional.

Diferenças:

Há uma grande diferença entre o cavalo versátil- capaz de diferentes modalidades olímpicas e o cavalo especializado em uma modalidade.

Não cabe nenhuma dúvida de que é mais fácil formar um cavalo especializado do que um universal. Por isso, o treinamento combinado é difícil para todos os tipos. A transição de uma a outra parte do treinamento tem que ser mais leve quanto possível para preservar o balanço físico, mental e o emocional do cavaleiro e do cavalo durante toda modalidade.

Considerações:

Tempo para formar: É necessário de 3 a 4 anos para prepara um cavalo do CCE.

Raças: As raças europeias são as melhores para a modalidade Entre essas eu escolheria o Sela Francesa.

A escolha da característica do tipo desse cavalo é diferente da escolha de um cavalo para a pratica do salto ou adestramento.

Leveza  e harmonia com boa massa muscular para a Adestramento.

Agilidade para Saltar.

Acessórios: Sela completa, Bridão ou freio/bridão. Cabeçada com gamarra.

Vencer obstáculos em seu caminho é parte do comportamento natural dos cavalos selvagens, quando fogem galopando dos predadores. Mas os cavalos domésticos saltam apenas por ordem de seus cavaleiros. Treinar um cavalo para competir para o público é um processo longe e complicado.

Artigo escrito por Deolir Dall’Onder para a Revista Acontece sul, ano XIV, Número 147.

Artigos que você possa estar interessado:

Deixe seu Comentário: