Você está em: Página Inicial > Artigos > Cavalos Selvagens - Espírito de Liberdade
Curiosidade
Publicado em 02/06/2014 Comentários

Cavalos Selvagens - Espírito de Liberdade

Cavalos selvagens existem desde a pré-história e vem evoluindo ao longo do tempo. Vivem livremente na natureza. Nos dias atuais nota-se a influência do homem sobre eles e a mistura de outras raças de cavalos domesticados.

Cavalos Selvagens - Espírito de Liberdade

Liberdade, palavra que melhor define o espírito dos cavalos selvagens. Como sabemos, os cavalos são animais sociais, e quando selvagens vivem em grupos liderados por um garanhão. Não existem muitos inimigos naturais deste animal, a maioria são membros da família dos felinos, assim, em função de sua força e agilidade, por muitos anos reproduziram-se constantemente.

Estes animais difundiram-se na Ásia e Europa em épocas pré-históricas, mas as vastas manadas foram se esgotando através de caçadas e capturas para domesticação.

Um exemplo de cavalo selvagem é o Tarpan, que sobreviveu até 1850 na Ucrânia, Polônia e Hungria, países onde surgiu. Dizem que é o antecessor do cavalo Árabe e de outros puros-sangues. Na época glacial, quando os cavalos das florestas obrigaram-se a deslocar-se para o sul, lá cruzaram com os animais locais, que habitavam as planícies, dando origem a este animal.

Cavalos Selvagens - Espírito de Liberdade

Atualmente, pesquisadores afirmam que existe uma última espécie sobrevivente de cavalo selvagem, sendo o cavalo de Przewalski, que tem seu nome em função do explorador russo que localizou uma imensa tropa em 1881. Ele também é conhecido como cavalo selvagem da Mongólia. No fim do século passado foi quase extinto, por isso os sobreviventes são cuidadosamente conservados em estado selvagem.

O Przewalski tem os pêlos de cor clara e uma listra negra sobre o dorso, uma crina negra e ereta. São baixos e compactos. Têm algumas “calosidades” na parte de dentro das patas. São muito férteis e de rápido crescimento, portanto deveria ser mais fácil manter sua reprodução para que novamente habitassem as áreas nas quais viviam originalmente.

Cavalos Selvagens - Espírito de Liberdade

Estudos comprovaram que os modernos cavalos europeus descendem de cavalos selvagens da península Ibérica, que lá viviam por ser uma floresta menos densa do que o restante da Europa. Nos dias de hoje já não se encontram cavalos selvagens na Europa, o mais próximo disso seriam os cavalos que “andam” livremente nas planícies, chamados de “Garranos”, mas estes animais possuem “donos”.

Nos Estados Unidos, existem os famosos Mustangs, que na verdade são cavalos que foram levados pelos conquistadores espanhóis para a América e lá se reproduziram livremente em função de suas vastas planícies e ausência de predadores naturais. Chegaram a ter mais de dois milhões de exemplares, o que acabou por tornar-se um problema para os agricultores, pois competiam com os seus bovinos pelas pastagens. Por esta razão iniciou-se uma caça a espécie, fazendo com que seu número reduzisse drasticamente. Com este rápido declínio foi aprovada uma lei no país, declarando o Mustang como espécie protegida. Mesmo assim eles desapareceram de vários estados, onde haviam grandes populações e as poucas centenas de sobreviventes residem no Canadá.

Cavalos Selvagens - Espírito de Liberdade

Pesquisadores afirmam que, em algumas manadas de Mustang moderno está evidente a mistura de outras raças de cavalos domesticados, e por esta razão muitos consideram estes animais fracos e inferiores, porém muitos defensores da proteção desta espécie alegam que suas características atuais derivam da influência do homem.

O que mantém a esperança de seus protetores é a indicação de que alguns rebanhos mais isolados mantêm uma forte influência da raça espanhola original.

Desde os Tarpans, passando pelos Przewalski, e chegando aos Mustangs, temos exemplos da evolução das espécies de cavalos selvagens. Atualmente não existem informações concretas da existência de alguma raça totalmente selvagem, descendente direta dos antepassados europeus. A maioria existente ou foi transportada pelos espanhóis, ou resgatada pelos índios. E então procriou-se livremente, o que não lhes tira o mérito de serem denominados selvagens.

De qualquer forma, sendo de descendência pura ou não, estes cavalos são livres. Livres do homem, livres de espírito, livres de alma. Eles têm como aliada a melhor companhia: a Liberdade.

Artigos que você possa estar interessado:

Deixe seu Comentário:

Comentários:

Bonita e interessante reportagem.Paraben - 26/05/2016

Bonita e interessante reportagem. Parabens.