Você está em: Página Inicial > Artigos > Cavalo na Semana Farroupilha
Curiosidade
Publicado em 26/09/2012 Comentários

Cavalo na Semana Farroupilha

20 de setembro é a data máxima do povo gaúcho, quando é reverenciada a Revolução Farroupilha

Semana Farroupilha

O dia 20 de Setembro é um dos principais marcos da formação política e da história do Rio Grande do Sul. Esta data tão importante, por decisão da Assembleia Legislativa, foi transformada em feriado em 1996.

O Movimento Tradicionalista do Rio Grande do Sul surgiu no ano de 1947, a partir da criação do Departamento Tradicionalista, organizado por estudantes do Colégio Júlio de Castilhos, em Porto Alegre, liderado por João Carlos Paixão Cortes, juntamente com uma centena de professores e alunos como Antônio de Sá Siqueira, Celso Campos, Orlando Jorge Degrazia, Ciro Dias da Costa, Fernando Machado Vieira, Ciro Dutra e outros. Nas reuniões realizadas, a principal preocupação era: desenvolver e preservar uma revitalização da cultura riograndense. Em uma destas reuniões, marcaram o dia 20 de setembro como a data máxima da Revolução Farroupilha. Data da tomada da cidade de Porto Alegre e inicio da Revolução Farroupilha.

Semana Farroupilha

É neste período, em Porto Alegre, que se ergue no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho entre prédios residenciais e públicos uma espécie de vila com mais de 400 barracas e galpões de madeira, chamada de "Ronda Crioula". A expressão Ronda Crioula foi buscadana campanha, onde quando se cuida do gado nas tropeadas, os gaúchos sempre ficam ao redor deles, cantando, assobiando, tocando violão de forma que acalmassem os bois. Um fogo era aceso a uma certa distância do gado e ficava igualmente rodeado de gaúchos que esperavam sua vez para fazer a ronda. E assim iniciou a Semana Farroupilha!

Desde o ano de 1947, a Ronda Crioula reúne integrantes de CTGs, piquetes e milhares de pessoas que visitam o local para celebrar a Semana Farroupilha ao redor do fogo, com churrasco, chimarrão, poesia, música, dança e atividades com cavalos. No encerramento das comemorações são realizados desfiles a cavalo ou em charretes que reúnem gaúchos vestidos a caráter de todo.

Em clima de união, de clamor cívico e consciência viva, os gaúchos dão uma profunda demonstração de igualdade, integração do campo e da cidade e de respeito a sua história, reverenciando seus antepassados e unindo gerações e etnias.

Revolução Farroupilha

Iniciada no dia 20 de setembro de 1835, a revolução Farroupilha durou cerca de 10 anos. Segundo a historia, mais de 20 mil homens e mulheres lutaram sucessivos combates, resultando na morte de aproximadamente 3500 revolucionários. O cavalo, sempre bravo, fiel e companheiro foi um forte aliado nas batalhas entre Farrapos e Imperiais.

Sob a liderança de Giuseppe e Anita Garibaldi, Antônio da Silva Neto, Bento Gonçalves, Domingos Crescêncio e David Canabarro, os farrapos se uniram e se rebelaram contra a centralização do Poder Federal. Entre as principais causas do combate, estavam a penalização dos produtos agropecuários, em especial o charque, com impostos altíssimos. E também a expropriação e desvio dos recursos acumulados no Estado, até mesmo para pagar dívidas federais junto à Inglaterra.

A Revolução Farroupilha se transformou em um momento de construção e afirmação dos princípios políticos, culturais, econômicos, sociais e principalmente ideológicos que guiam os gaúchos até nos dias de hoje. Apesar do ataque constante do Poder Imperial, os farrapos mantiveram suas atividades econômicas, desenvolveram as suas estruturas de poder e introduziram novas práticas democráticas.

Entre os anos de 1837 e 1838 os escravos foram liberados, os impostos foram reduzidos sobre a exportação e restabeleceram o imposto sobre importação de gado. Foi criada uma fábrica de arreios e outra de curtir couros e promoveram o recenseamento da população. Se institui a Assembleia Constituinte e o sistema eleitoral baseado no sufrágio universal com voto obrigatório e apuração perante o povo.

Nesta revolução não houveram vencidos nem vencedores. Porém, os farrapos conseguiram o que desejavam e ficaram de exemplo para a Historia de patriotismo e coragem de um povo que luta por seus ideais.

E claro, não poderia finalizar sem comentar que o cavalo sempre esteve presente na vida do gaúcho, em qualquer época, seja em tempos de revolução, de festejos, no serviço do campo, no lazer da cidade... essa figura adorável é nosso companheiro sempre!

 

Artigos que você possa estar interessado:

Deixe seu Comentário:

Comentários:

helaino - 14/02/2013

Gostei muito deste site!Parabens e obrigado por nos proporcionar qualidade excelente conteudo.