Você está em: Página Inicial > Artigos > As bases do Comportamento Equino
Comportamento
Publicado em 09/05/2014 Comentários

As bases do Comportamento Equino

Você entende seu cavalo? Você avalia o comportamento dele e age adequadamente? Leia o texto e reflita sobre o comportamento equino.

Comportamento Equino

De onde vem o comportamento equino? Como pensam os cavalos? Como reagem às situações cotidianas? Estas são algumas perguntas que todos nós, amantes dos cavalos, deveríamos fazer na tentativa de compreender melhor esta espécie maravilhosa. Minha intenção aqui é, resumidamente, indicar alguns pontos cientificamente conhecidos que nos indiquem o caminho para uma melhor relação com os cavalos, baseados em sua natureza.

O primeiro aspecto que devemos levar em conta é que cavalos, em natureza, são presas, e por isso, são movidos pelo instinto de sobrevivência. Sendo assim, todas as ações e reações destes animais são baseadas no julgamento que fazem sobre uma situação, avaliando especificamente se esta apresenta um risco de vida ou se é benéfica para sua integridade. Ou seja, equinos não avaliam uma situação simplesmente como boa ou ruim, mas sim se representa uma ameaça à vida ou não. Este é o motivo pelo qual em muitas situações aparentemente banais podemos perceber reações extremas por parte deles.

Comportamento Equino

Dito isto, afirmo que existem três aspectos fundamentais na composição do comportamento equino: genética, aprendizado e personalidade. Cada um tem suas particularidades, e a compreensão das diferenças deles nos permite diagnosticar de onde surge um trauma e o que motiva uma determinada reação.

Genética engloba tudo que vem da seleção natural. Estão impressos no DNA da espécie, portanto, serão iguais a todos os equinos. O instinto de sobrevivência é o melhor exemplo, seguidos pela linguagem dos cavalos. Se dominarmos esta última, podemos nos comunicar com qualquer equino, independentemente de sua origem.

Comportamento Equino

Aprendizado se refere às experiências de vida de um cavalo. São individuais. Este é o fator chave para uma boa relação com equinos, uma vez que uma ação realizada de maneira correta repetidas vezes vai propiciar que o cavalo a associe com algo benéfico para ele. A recíproca é verdadeira. Uma experiência traumática vai fazê-lo associar tal situação com risco de vida, e ele vai passar a reagir para livrar-se do que julga uma ameaça.

A personalidade é o fator mais individual e menos previsível do comportamento. Dentro da espécie existem raças, linhagens e indivíduos com tolerâncias distintas para os mais diversos estresses a que são submetidos por conta da domesticação dos cavalos. Faz parte da personalidade, também, fatores como dominância, timidez e sociabilidade. Outro exemplo é o tempo que cada cavalo precisa para a doma ou treinamento.

Comportamento Equino

Dito isto, afirmo que existem três aspectos fundamentais na composição do comportamento equino: genética, aprendizado e personalidade. Cada um tem suas particularidades, e a compreensão das diferenças deles nos permite diagnosticar de onde surge um trauma e o que motiva uma determinada reação.

A boa relação com cavalos deve levar em conta estes três aspectos do comportamento. Precisamos dominar os fatores genéticos, que são comuns a todos e, portanto, previsíveis, relacioná-los com a personalidade, que é individual, e aplicarmos esse conjunto de informações no manejo diário.

É preciso dar a devida importância para os tratadores, assim como a todos aqueles que submetem os cavalos a situações frequentes e/ou diárias (ferradores, veterinários, treinadores). Todos precisam estar afinados e íntimos de uma mesma técnica de trabalho, pois deles depende o sucesso do bom manejo e da boa relação.

Artigo escrito pelo veterinário Thiago Simon Pes.

Bloq Comportamento equino

Artigos que você possa estar interessado:

Deixe seu Comentário:

Comentários:

Dulcimara Carvalho Moraes - 07/07/2016

Dr. Thiago, gostei muito deste artigo: As bases do comportamento equino, sou psicóloga e uma apaixonada por cavalos, sempre busco entender melhor o comportamento e a personalidade do meus animais, mas no teu relato ficou muito claro este tripé que é a genética, a personalidade e o aprendizado, e como um entendimento facilita a prática do manejo. Para mim ler este artigo foi de muito aprendizado e grande valia.